Vǫluspá, “a profecia da vidente”, é uma das principais fontes para o mito da criação e destruição do cosmo na mitologia nórdica. Ela abre a Edda em Prosa, uma compilação de diversos poemas de cunho mitológico sobre deuses e heróis. Não há consenso em relação à data de Vǫluspá. Ela tem autoria desconhecida, e teria sido composta oralmente (Carolyne Larrington, em sua tradução para o inglês, aponta o final do século X d.C.), mas o principal manuscrito em que podemos encontrá-la, chamado codex regius ou konungsbók (“códice do rei”), data do século XIII d.C. 

Vǫluspá retrata a longa fala de uma vidente (em nórdico antigo, “vǫlva”) ao deus Odin, que começa narrando o surgimento do cosmo e termina após a destruição dos deuses e do mundo. Temos, portanto, uma narrativa que engloba fatos do passado, do presente e do futuro. A vǫlva inicia sua descrição com o chamado abismo de Ginnunga (em nórdico antigo, Ginnungagap), o vazio primordial e estéril que antecede o surgimento do universo. Em seguida, conta como surgem os diversos mundos e como se desenvolvem dentro deles os deuses, gigantes, homens e outras criaturas fantásticas. Com o decorrer do tempo, o clã divino dos Ases (aliado aos Vanes) assume o poder supremo sobre o universo. Mas tal poder não é eterno: a feiticeira descreve como os gigantes e criaturas malignas, liderados pelo deus Loki, destruirão o mundo e os deuses no evento conhecido como Ragnarǫk, “o crepúsculo dos deuses”. 

Recentemente, Vǫluspá foi traduzida na íntegra direto do nórdico antigo por Pablo Gomes de Miranda, e publicado pela primeira vez em veículo acadêmico, o periódico Scandia, vol. 1 (2018): veja aqui. Àqueles que desejarem se aprofundar no assunto, recomendamos a tradução acima. As notas do autor auxiliam bastante na leitura, mas não se frustrem se não entenderem tudo nos mínimos detalhes: Vǫluspá não é uma obra fácil de se ler. O estilo não é nada claro, e muitas questões e termos são motivos de debate infindável entre especialistas até hoje.  

No curso online “Mitologia Nórdica: Universo, Deuses, Heróis”, que será ministrado entre 12 e 28 de fevereiro 2019 (inscrições aqui), abordaremos alguns aspectos do poema à luz de outra obra, a Edda em Prosa ou Edda de Snorri (Snorra-Edda), que esclarece diversas questões nele presentes. A ideia é tornar o mito de criação o mais acessível e compreensível possível ao grande público. Esperamos vocês lá!

Categorias: Mitologia Nórdica

Rafael Semedo

Mestre em Letras Clássicas pela Universidade de São Paulo (2018), graduado em Psicologia com Domínio Adicional em Cultura Greco-Latina pela PUC-Rio (2014). Atua nas áreas de língua e literatura grega e do islandês-nórdico antigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: